Shopping Mueller: mais uma polêmica do estacionamento

Os frequentadores do Shopping Mueller já estão pagando mais caro para estacionar seu carro. O reajuste foi de 33,3% e a tarifa mínima agora é de R4,00. Antes do aumento, o valor cobrado era de R$3,00 para as primeiras três horas. O aumento, e a impossibilidade de pagar o valor fracionado tem revoltado consumidores e lojistas, que já sentem os prejuízos. A assessoria do shopping não quis opinar sobre o caso e afirma que até o momento não recebeu reclamações.
Porém, vários consumidores e lojistas contrariedade ao aumento, e mesmo contra a cobrança do estacionamento, o que segundo eles, afeta diretamente o bolso do cliente que já têm optado por outros locais com estacionamento grátis.

Pela lei estadual n 13.348, de maio de 2005, shopping centers são obrigados a conceder isenção do pagamento de estacionamento quando o usuário permanece por período igual ou inferior a 90 minutos. Porém uma liminar expedida pelo juiz de Direito João Alexandre Dobrowolski Neto, da 2ª Varada Fazenda Pública acabou com a gratuidade.

Uma opção para escapar da cobrança de R$4,00 é estacionar nas imediações do shopping e deixar o carro à própria sorte, correndo o risco de ter seu automóvel furtado ou mesmo sofrer com o assédio de flanelinhas que "cuidam" dos carros dos clientes do shopping no lado de fora.
A empresa Pró-Parking, que administra o estacionamento, alega que teve de arcar com custos operacionais e precisou fazer o reajuste. Por sua vez, a assessoria de imprensa do shopping não quis opinar sobre o caso, e diz que não registrou nenhuma reclamação, porém a Gazeta ouviu consumidores e lojistas e encontrou muitos descontentes.

Lojistas são contra aumento

O empresário Osnildo de Souza é proprietário da Jordani Joias e presidente da Associação de Lojistas do Shopping Mueller. Ele conta que a posição da entidade é contraria à cobrança do estacionamento.

"Não somos favoráveis ao aumento, pois entendemos que o momento econômico que vivemos não permite praticar qualquer aumento que possa alterar nossa relação com o cliente", explica.
Osnildo ressalta ainda que não observou nenhum lojista que seja a favor, mas na condição de empresa, segundo ele, "cada uma sabe onde aperta o seu sapato. Eles justificam os gastos com aquisição de máquinas mais modernas e suporte técnico"

Outro lojista que não quis se identificar conta que sua loja já sente prejuízos de pelo menos 30% no faturamento total. "É uma pena, muitos clientes reclamam diretamente para nós no caixa, e apenas nos desculpamos informando que infelizmente não há nada que possamos fazer", lamenta.

Procon acompanha o caso

"Recebemos diversas reclamações. Mas estamos de mãos atadas, já que esta cobrança é sustentada por uma ação judicial", revela Jorge Nemer Filho, presidente do Procon de Joinville. "Estamos esperando uma decisão final sobre este caso. O Procon entende que o estacionamento deveria ser gratuito", complementa.

18 comentários:

Pedro disse...

Fica uma pergunta no ar... no Shopping Cidade das Flores, o consumidor que gasta determinado valor recebe isenção no estacionamento. Por que isto não é possível no Mueller?

Anônimo disse...

GO HOME SHOPPING MULLER.Um absurdo o preço que estão cobrando pelo estacionamento no shopping.A população tinha que se unir e deixar de frequentar este shopping.A pergunta que não quer calar:A quem interessa este novo aumento? Como aumentam assim tão facilmente? Porque não consultam o povo? Quando querem opiniões a respeito das lojas aí usam o povão.
Mateus, primeiro os meus, ou SEPULCROS FÉTIDOS CAIADOS POR FORA.PARA SE PENSAR: Aqueles que dizem que algo não pode ser feito, deveriam sair do caminho daqueles que estão fazendo.( Joel Barker).

Anônimo disse...

Essa pergunta deveria ser feita p/ nosso grande poder judiciário que concedeu a liminar. Porque será?? Hum....

João Bobo disse...

Temo que a culpa por esse aumento seje da Rainha da Inglaterra

Anônimo disse...

Deixei de ir ao SHOPPING MULLER muitas vezes justamento pelo fato de ter que pagar pelo estacionamento. Principalmente quando preciso comprar algum item que posso encontrar em outro lugar.

Sapão - André Luís Oliveira disse...

Concordo com o primeiro comentário (Pedro). Essa desculpa que "tivemos que aumentar" não tem argumentos válidos, o Big nem cobra estacionamento e está aí no mercado. É ridículo pagar 4 reais pra deixar o carro, já não basta o consumo do shopping que gera lucro e ameniza a crise??
Estão vindos novos shoppings aí, quero ver o Mueller agüentar o tranco

deivid disse...

È simples amigos.... para nois combate esse aumento... vamos deixar de ir no Shopping Mueller... vamos ir em outros como auternativa temos cidade, americanas e logo logo o novo shopping na cidade, vamos deixa de ir lá, vamos deixar as pessoas de poder aquisitivo ir, vamos ver se o estaciomaneto vai consiguir se manter com meia duzia de riquinhos indo la... o Shopping Mueller já foi um shopping bom, hj ta pior que nosso camelodrimo ao lado do rio cachoeira....

Esse é meu Desabafo...

Anônimo disse...

Na realidade a isenção de estacionamento no shopping Müeller também é válido (ao menos já foi). Como trata-se de um shopping, e não de uma loja principal, os lojistas não têm poder sobre o que ocorre com o estacionamento. Mas como o André citou, no Big não é cobrado, no Angeloni também não, e nem mesmo no Giassi. Os únicos estabelecimentos comerciais onde há cobrança são: Cidade e Müeller. Que a cobrança deve de existir, não me resta dúvidas. Caso contrário quem não vai ao shopping mas não quer deixar seu carro na rua, estaciona lá, ocupando vagas dos verdadeiros clientes. Entretanto, deveria ser isento quem faz qualquer tipo de consumo dentro do estabelecimento (seja alimentício ou compras), quer seja de um ou mil reais. Infelizmente o poder judiciário parece não se preocupar com isso. Será que é porque o salário de um juiz pode chegar facilmente aos 19 mil reais?

Beta disse...

Eu e meu esposo evitamos ir ao Shopping Mueller e quando vamos, geralmente deixamos o carro na rua, pois nao concordamos com esse preço abusivo que é o estacionamento.
Para almoçar, vamos mais no cidade, pois lá há isenção do estacionamento quando consumido 30,00.
Só quero ver o Mueller fazendo isenção de estacionamento quando surgir o novo Shopping na Santos Dummont... vai ser bonito de ver!!!!
Como fazer isso mudar? Deixem de ir ao Mueller, se forem, estacionem na tua ou em estacionamentos pagos fora que são mais baratos...

ISSO TEM QUE MUDAR.

Fabiano E. disse...

É engraçado como falta ao Shopping Mueller uma visão clara do que está acontecendo no Mundo, no Brasil e em Joinville. Enquanto vivemos uma época em que várias pessoas perdem seus empregos, famílias perdem suas casas e sua dignidade, onde o governo reduz até imposto (IPI), temos uma entidade COMERCIAL que não respeita o seu público. Engraçado é que essa entidade depende do consumidor que está tendo sua renda reduzida e comprometida. Pior ainda, em um momento na cidade que está chegando um MEGA concorrente. Realmente, para mim isso parece estupidez. O pior de tudo é que a empresa que administra o estacionamento atua, e o que o Shopping faz? Se cala! Lamentável!

Nelson Jvlle disse...

É certo que o shopping está indo na contra mão do mercado
Também é certo que não está nem aí para o cliente, razão de sua existencia
A justiça concede liminares, que deveriam ser de curta duração, e as mantém eternamente...É preciso questionar isso tambem. Num caso tão simples, porque a justiça demora tanto em dar uma decisão? Daqui a pouco os "Meretíssimos" não poderão reclamar se acaso forem acusados de receber algum, em troca dessa protelação...
O único estabelecimento daquele shoppinzinho que respeita o consumidor é a loja Cassol, que abona o cartão de estacionamento para clientes que lá fazem compras.
Então, não se justifica a desculpa dos demais lojistas que dizem que não podem fazer nada...Porque não seguem esse exemplo?

Com raras exceções,no caso uma única, trata-se de um bando de empresários cafajestes orquestrados pela direção do Muller, outro bando de cafajestes.

E não adianta ficar reclamando.
É só não ir mais ao Muller, que aliás é um shoppinzinho bem vagabaundo...vamos e venhamos.

Olho Vivo disse...

VAMOS INICIAR A CAMPANHA
"NÃO VÁ AO MEULLER"... Mas tem levar a sério, não adianta meia dúzia reclamar e boicotar o "camelódromo de luxo" e o resto continuar a freguenta-lo. Tem que deixar de ir mesmo. Vamos ver até quando os logistas e essa administraçãozinha, que só porque jogava banco imobiliário na infancia se acha capaz de administar algo, vão aguentar.

NÃO VÁ AO MUELLER.

Jô disse...

Eu não gasto meu $ no Müeller,pois mercadorias de marcas hoje em dia tem em qualquer loja de rua,você tem desconto por ser cliente assíduo e respeito.O que eu não vejo no Müeller."Quem se gosta não passa no Müeller"!

Sanastério Baladote disse...

De todos os comentários supra, afino-me mais com o que prega a campanha "NÃO VÁ AO MULLER". Sensacional! Vamos fazer adesivos e pregar nos carros. Soltar este bordão em nossas listas de e-mails. E, por que não, aos adeptos, lançar uma ala com uma grande faixa, na passeata colorida que se avizinha? (Eu não me enquadro em nenhuma das letras, nem no "S", mas vou ficar na calçada só para ver quem, cá da Província, teve coragem de assumir!) Pois é. Galhofas à parte, o fato é que o estacionamento do Mueller é um local privado. Assim, quanto à questão da Lei estadual que obriga a se conceder isenção, para quem compra, esta é absolutamente inconstitucional, pois invade a esfera de uma relação privada, onde o Estado não pode interferir. Só paga quem usa, oras. Daí que, meus caros, não botem a culpa nos juízes. E por ser um local privado, o estabelecimento fixa o valor que bem entende para quem usa o serviço. Não quer pagar? "NÃO VÁ AO MUELLER". De qualquer modo, entendo que o estabelecimento deveria cobrar, para não virar abuso (como ocorria no passado, "neguinho" deixando o carro, de graça, o dia inteiro no shopping, sem sequer entrar no referido). Mas a cobrança deve, mesmo, ser compatível com o razoável. Eu mesmo, estou evitando ir almoçar diariamente na praça de alimentação, ocasião em que, depois, tomo um cafezinho, às vezes, compro um livro e até umas cuecas na Lupo. Daqui a pouco perco o hábito e, como muitos certamente o farão, tchau Mueller. NÃO VÁ AO MUELLER!

Sanastério Baladote disse...

PS: Ao "OLHO VIVO", autor do bordão "NÃO VÁ AO MUELLER": Se você ficar escrevendo "logista", ao invés de lojista (que vem de "loja" e não de "loga") os lojistas vão aumentar ainda mais o preço do estacionamento!

Anônimo disse...

Vão se fuder,não tem dinheiro não vai Shopping,ou deixa o carro na rua para ser roubado. Idiótas...

Anônimo disse...

Desde quando se pode chamar o "Mueller" de Shopping? Aquilo lá não passa de um Centro Comercial privilegiado.Enquanto muitas lojas continuam fechando suas portas por falta de vendas e pelo alto valor dos aluguéis, o lucro desse Shopping é muito demasiado sómente com o repasse dos valores cobrados pelos seus estacionamentos, os lojistas que se explodam, não precisamos deles.

Anônimo disse...

Oi pessoas ... eu tbm não concordo com o aumento é um absurso!!
mas a alternativa de deixar de ir ao shopping é tola.. essa cidade é um Ovo! o unico shopping melherzinho é esse (ate o outro ficar pronto) o jeito é ir la e pagar!!!