Prefeitura ouve reivindicações de associações de moradores

A Prefeitura de Joinville iniciou nesta quarta-feira (8) programa de reuniões com as associações de moradores do município. O objetivo é aproximar a Prefeitura da população e ouvir as principais reivindicações e sugestões. "Queremos manter com vocês uma relação franca, tranquila e sem cooptação. O que não for possível de ser realizado, não será prometido", disse o prefeito Carlito Merss na abertura do encontro com os moradores.

A reunião teve a participação de 20 associações de moradores dos bairros de abrangência das secretarias regionais do Boehmerwald e do Itaum. Carlito lembrou que estes encontros servirão para o encaminhamento das discussões do Orçamento Participativo, no segundo semestre. "Vamos ouvir, discutir e estabelecer prioridades",comentou.

Todas as reivindicações foram protocoladas pelo Gabinete do Prefeito e serão respondidas. As associações irão saber o que poderá ser feito a curto, médio e a longo prazos. "Também vamos dizer o que será impossível de ser feito", reforçou Lico Celestino, coordenador das reuniões.

Os encontros vão ser realizados sempre nas quartas-feiras, na sede da Prefeitura. O próximo contemplará os grupos dos bairros Costa e Silva e Nova Brasília. O objetivo é ouvir todas as associações de Joinville, mais de 120, até o final de maio.

2 comentários:

isaias disse...

PARABENS CARLITO, É UMA PENA QUE OS JOINVILLENSES NÃO ESTÃO MUITO ACOSTUMADOS COM DEMOCRACIA, MAS AOS POUCOS ELES VÃO GOSTAR DE SER LIVRES E PODER OPINAR SEM SEREM AMEAÇADOS....

roberto disse...

É uma forma de gestão que poucos ou nunhum prefeito faz. A gestão participativa tem vários objetivos, vou citar alguns:
- Compartilhar e comprometer a comunidade nas decisões
- Definir as prioridades com participação da comunidade
- Evoluir e melhorar a educação política da comunidade de forma a tornar a população mais esclarecida
- Enfim, tornar real a promessa de campanha que o prefeito se comprometeu. Joinville é para toda a sua gente. (Não mais para alguns)

A maioria dos prefeitos depois de eleito torna-se um déspota. Acha-se um rei, que não carece de dar explicações ao povo. Todas as negociatas são feitas as escondidas, por debaixo da mesa. As vezes, por azar deles, essas negociatas são flagradas, exemplo disso, foi o que aconteceu com secretário da saúde do governo Tebaldi. Evidentemente, como era de se esperar o Hospital São José estava um caos.
Agora é bola pra frente e reconstruir. E o povo, estando mais escarecido e participativo, não vai permitir que o passado retorne a Joinville.
Não vai faltar críticas dos perdedores, para esse tipo de gestão. Tornar a comunidade mais participativa e informada é o que eles menos querem.