Deputado cedeu passagens a suposto integrante de quadrilha

O nome do deputado Fernando Coruja, líder do PPS e ex-secretário de Saúde do governo do Estado, engrossa a relação divulgada pelo Congresso Nacional sobre os envolvidos com a "farra das passagens". Coruja utilizou sua cota de passagens para viagens internacionais custeadas pelo governo. As passagens fornecidas pelo deputado beneficiaram sua família e o ex-superintendente da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Ramon Silva. O favorecido Ramon foi preso em janeiro de 2008, juntamente com o ex-secretário de Saúde de Joinville Norival Silva, homem forte do ex-prefeito Marco Antônio Tebaldi e virtual pretendente a vice na chapa de Darci de Matos (DEM), candidato derrotado na última eleição municipal em Joinville.

Passageiro de Coruja já foi companheiro de cela de Norival Silva

Além de Ramon, também viajou através da cota do deputado, paga pela Câmara, Adélia Tealdi. A dupla aparece na lista de servidores da Secretaria de Saúde de Santa Catarina, a qual Coruja era o titular entre 2003 e 2004. As passagens de Adélia e Ramon foram de ida e volta para Buenos Aires.

Ramon Silva é amigo do deputado Fernando Coruja e foi indicado pelo deputado para ocupar o cargo de superintendente da SES. Entretanto, no dia 14 de janeiro de 2008, o Ministério Público Estadual pediu a prisão de Ramon sob a acusação de integrar a suposta quadrilha que, em tese, era liderada pelo então secretário de Saúde de Joinville, Norival Silva. Os dois e mais seis suspeitos foram companheiros de cela durante cinco dias na carceragem da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Sobre as passagens de sua cota, o deputado Coruja afirmou. "Eram cotas pessoais minhas. Esse procedimento existe há mais de 50 anos". Porém, o deputado usou uma justificativa pouco convincente sobre a emissão das passagens a Ramon Silva. "As passagens não eram autorizadas por mim". Quanto a Adélia Tealdi, ele alega ser sua funcionária, mas também não soube explicar o motivo da viagem dela.

Voando nas asas de Coruja


A cota do deputado foi responsável pela emissão de 19 passagens internacionais no período de março a outubro de 2007. O deputado voou com a esposa Cristina Agustini e os filhos Guilherme e Maria Fernanda para a Europa.

Além desses beneficiados, na cota do líder do PPS, figuram outros quatro apenas de ida. Elas foram emitidas para quatro integrantes da mesma família. Gustavo Amorim, Carolina Amorim e Giovana Amorim. As passagens foram vendidas em 25 de setembro de 2007.

Oportunidade única para Sandro

Essa é uma oportunidade ímpar para o presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, Sandro Daumiro da Silva (PPS), reafirmar sua aparente "ânsia" pela moralidade. Sandro, em um episódio recente, exonerou sumariamente o jornalista Luiz Fernando Battisti, assessor de imprensa do vereador Manoel Francisco Bento (PT). O motivo da inusitada atitude foi uma informação equivocada repassada pelo assessor de Bento a um repórter do Jornal Notícias do Dia. Agora, no escândalo das passagens, Fernando Coruja, líder catarinense do PPS, aparece como o campeão da bancada catarinense na Câmara dos Deputados por emissão de passagens com o dinheiro público.

Se a postura do vereador que preside a casa legislativa do maior colégio eleitoral de Santa Catarina continuar com a mesma rigidez, espera-se no mínimo uma manifestação de Sandro em relação à distribuição de passagens pelo líder de seu partido. A reportagem tentou contato com o presidente da Câmara de Vereadores de Joinville diversas vezes. Segundo a assessoria do vereador, ele estava em viagem. Em todas as tentativas seu telefone estava desligado.

5 comentários:

Gilberto disse...

Pois é Sandro, quando a pedra cai no seu telhado de vidro, vc finge que nada aconteceu. É um comportamento comum entre os integrantes dos partidos que estiveram no poder nas últimas décadas. Cabe ao povo saber distinguir, não é tudo farinha do mesmo saco não, ACORDA ZÉ!!!

Luiz Gonzaga disse...

O Sandro é brincadeira.Foi na TV criticar o esquema Tebaldi/Darci no programa eleitoral do Carlito e depois para ter o cargo de presidente da mesa fez o que ???

Foi para o lado do Darci/Tebaldi.
Ele entrou no PPS pelas mãos do Coruja ( o recordista catarinense na farra das passagens).
Mas,temos que reconhecer que ele não usou as passagens do Coruja, pode ter recebido ajuda para a campanha mas não usou as passagens.

gerson disse...

Quando foi divulgado a FARRA DE PASSAGENS, com o nosso dinheiro e o deputado Paulo Bauer distribuindo essas gentilezas a nossas custas, eu fiz um desabafo nesse jornal a qual foi publicado. Foi veementemente criticado, recebi inumeros e-mails de parlamentares, radialistas me detonando, me dizendo que eu não sabia o que estava falando. E o tempo é o melhor remédio para resposta. Critiquei, peguei pesado mesmo na época. Mas os bocas pagas, os mal educados, queriam me intimidar, ledo engano quebraram a cara comigo, uns me diziam que se me conhecem iria me dar uma surra, e tive que rir, pois esse não teria a minima capacidade pra fazer isso. Esse foi o único jornal que publicou a minha critica, enquanto os demais jornais se silenciaram, sabem porque? Porque não estão interessados em mostrar a verdade, e sim em proteger seus financiadores, com propagandas enaltecendo a decentralização. gerson dos santos

gerson disse...

Quem diria Fernando Coruja, fazendo tantas criticas ao governo federal porque gastava de mais. É o ditado quem tem telhado de vidro tem que ficar de boca calada, não é senhor deputado Fernando Coruja, gastando, festando, rindo a toa, gozando da nossa cara, chamando todos de otários, quando não temos a verdade conosco é isso que dá. Agora descobriram tudo, até tu brutus......
geson dos santos

Tio Barnabé disse...

Coruja é simbolo da intelectualidade. Mas, nesse caso a ave de habito noturno representa falcatruas, conchavos e falcatruas. Com a palavra o sr. Sandro Silva.