População joinvilense diz não à Parada Gay


Ao contrário da Parada Gay de São Paulo, onde quase 40% da população aderem ao desfile, houve poucas pessoas na passeata de Joinville.

O pequeno número de pessoas na Parada Gay de Joinville mostra que a cidade não entrou no clima do evento. O presidente da FCJ, Silvestre Ferreira, já havia comentado sobre certa resistência ao evento em alguns setores da cidade. “Algumas pessoas em Joinville estão incomodadas com isso que estamos fazendo hoje. Mas quem disse que não pode haver espaço para o conflito? O conflito é pedagógico. A paz não é a ausência da luta. É o resultado dela”, refletiu.

O evento aconteceu na Avenida Beira Rio e finalizou a Semana da Diversidade, evento que trouxe à cidade debates e discussões em torno de homossexualidade e preconceito.

A bandeira colorida com 240 metros quadrados, símbolo da diversidade, foi carregada por todo o trajeto. Os participantes acompanharam um trio elétrico que trazia, além de som, drag queens, casais homossexuais e gogo-boys. Segundo a Policia Militar, estavam no evento aproximadamente cinco mil pessoas.

O objetivo da semana foi mostrar a diversidade sexual. Além do patrocínio de hotéis e rádios, a Fundação Cultural de Joinville contribuiu com aproximadamente R$ 25 mil para a realização da Semana da Diversidade.

28 comentários:

André Luiz disse...

Respeito a opção dos homossexuais, e eles tem todo o direito de se organizar e fazerem eventos, mas não posso deixar de usar o meu direito de expressão para falar deste evento e do governo de nossa cidade.
Primeiro que olhando para as fotos não consigo ver 5000 pessoas presentes, além do mais, boa parte são pessoas de fora da cidade. O show na praça não tinha ninguém além dos organizadores assistindo.
Nosso prefeito Carlito Merss prometeu e diz fazer um governo participativo, infelizmente não é o que vemos na prática.
Eu e, creio eu, a maioria dos cidadãos da nossa cidade de Joinville não querem ver seus impostos sendo investidos em eventos como este. É uma pena, mas infelizmente elegemos mais um político que somente promete, mas não cumpre.
Em uma frase muito usada pelo marketing de um ex-prefeito: Aqui está o seu IPTU.

Anônimo disse...

Joinville, jamais irá aceitar!!!
uma comunidade que precisa de tantas coisas, não pode aceitar que dinheiro publico se gaste com quem não tem nada para fazer, a parada gay não é um movimento sério, apenas um bando de desocupados que não tem mais nada pra fazer, não saiu por ai fazendo a parada machista, nem coisas do tipo, respeito os gays, acho que eles tem o direito de escolher o parceiro sim, mas não precisam ser diferentes de todos e muito menos se expor, jamais vou aceitar que esteja com meu filho na rua e a minha frente tenha dois homens se beijando!!! Respeito deve existir!

Marcelo Gothino disse...

Ridicula esta reportagem
com tempo chuvoso o diversidade joinville reuniu mais de 8 mil pessoas. e lotou a praca do mercado municipal. se tudo isso nao representa nada, nao sei o ue represetna. uma informacao a primeira parada gay de sampa deu 500 participantes. nao vai demorar e joinville terá a maior parada da diversidade do estado. pode apostar.

marcelo billes disse...

2 mil pessoas, e a chamada diz que a cidade disse não?

Olha, vão me desculpar, mas vocês começam a procurar pelo em ovo para criticar a boa gestão do Carlito...

Tourinho Saltitante da Floresta disse...

Aí qui dilicia!

Anônimo disse...

Há algumas considerações a serem feitas.

Com 2000 pessoas(números reais e não da Anotícia que tbm viu 200 mil pessoas no show do roberto carlos), no Máximo 1000 eram gays e afins. O resto soma-se à mídia, policiais, organizadores, passantes e curiosos.


Com um custo de quase 200 mil reais(é isso né? ou ainda teve mais apoio por fora??) a parada gay custou em torno de 3 cestas básicas por Gay presente.

Ainda bem que Joinville não aceitou.

Contava, mesmo pessimista, com 30 mil pessoas na parada. Quando me disseram que foi 5 mil pensei: " A chuva destruiu mesmo". Mas com essa foto, de no máximo 2000 vi que ela fracassou.

Phibos disse...

Nossos impostos!!!

Se você quizer olhar... tem bastante foto mostrando que realmente teve público!!

lola aronovich disse...

Vergonhosa a manchete de vcs. Vou escrever sobre o papelão de vcs na minha coluna na Notícia, e também amanhã no meu blog. A primeira parada gay de SP, em 1997, reuniu menos de 2 mil pessoas. A primeira parada gay de Joinville reuniu 5 mil pessoas. Sendo que Joinville é 22 vezes menor que SP. Eu estive na parada, adorei, e me pareceu um sucesso total. Quem esteve lá sabe que Joinville disse SIM.
http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2009/06/momento-historico-em-joinville.html
Aliás, se alguém quiser ver fotos de verdade da parada (não aquelas escolhidas a dedo mostrando 3 pessoas), tem aqui.

Emanuelle disse...

Eu estava presente. Se basear numa foto - mal tirada por sinal - de final de desfile, onde não mostra a realidade do público para dizer que Joinville não aderiu a parada?
Que absurdo!
é preciso aprender a criticar, a fazer oposição.
Esse jopgo de interesses já está evidente demais.

simone disse...

Vergonha é uma palavra que descreve bem o sentimento de tantos joinvilense que como eu, não podem deixar de expressar a indignação que sentem diante da famigerada semana da diversidade que foi incentivada pela fundação cultural.
Deixo claro que minha indignação não é com os homossexuais, mas sim com o evento!

O que não toleramos é termos que engolir goela a baixo um evento tão fútil diante de tantas verdadeiras necessidades urgentes do município e ainda ter de pagar por ele!
Ah..tenha dó!Não é para isso que eu trabalho e não é para isso que eu contribuo corretamente com meus impostos!

Hoje eu pergunto: O que se acrescenta a cidade de Joinville com o evento de ontem? A resposta é Nada!!!
Meu respeito as autoridades de Joinville permanece intacto, e por isso mesmo, eu como cidadã, exigo que os meus direitos também sejam respeitados!

Simone S.P. Machado

Anônimo disse...

Espero que você compreenda que não importa o quão longe você tenha ido em seu estilo de vida homosexual, nunca é tarde demais para mudar, nunca é tarde demais para voltar ao lar. Deus tem o poder de reformá-lo completamente em corpo, alma e espírito. Por causa do que Deus fez por mim, o velho Jerry Arteburn acabou. Ele se foi. E sou uma nova pessoa através do poder de Deus. Creio que você queira mudar. Espero que você sinta que deva mudar. Você precisa tentar. Existe um caminho melhor. Deus tem um plano melhor. Com a decisão de buscar a vontade de Deus para sua vida, ela pode ser uma vida com significado." Jerry Arterburn, falecido em 13 de Junho de 1988 aos 38 anos, de AIDS.

Anderson Sartori disse...

Será que DEUS se agrada deste ato? Leia a Bíblia e veja o que fala o senhor!!
A Bíblia está cheia de passagens condenando tal prática. Os homens de Sodoma queriam conhecer os anjos que se hospedaram na casa de Ló. Daí vem a palavra "sodomita" que é o homem que procura outro homem para possuí‑lo como a uma mulher. Tanto o que faz o papel de homem como o que faz o papel de mulher estão pecando e cometendo uma abominação:

Amanda Catherine disse...

Vim procurar pela cobertura da parada da diversidade no site da Gazeta pois sempre acreditei que este fosse um dos jornais mais sérios e imparciais que se pode ter. Percebi que me enganei.

Conseguir juntar 2 mil pessoas foi uma vitória! Não podemos esquecer que Joinville é uma cidade bem mais conservadora e provinciana que São Paulo e mesmo assim colocou nas ruas cerca de duas MIL pessoas!

A fotografia que a Gazeta colocou no inicio da reportagem quer DE CARA desmoralizar a iniciativa.

Se depender de mim, Joinville terá uma parada da diversidade por ano!!!

Abraços
amanda Catherine - Historiadora, nascida em Joinville, atualmente morando em São Paulo.

Anônimo disse...

caro """"jornalista"""", realmente são paulo tem um público muito grande na Parada, mas muita gente é de fora da cidade. por acaso você sabe com quantas pessoas teve a primeira parada.. se informa!!!!

davi disse...

sr prefeito esse é o seu melhor?
isso é o que tu deseja para nossa cidade?
meu sentimento é de decepção no que diz respeito a toda aquela expectativa de mudança que o sr me fez acreditar.
apesar de muitos tentarem nos convencer,a população decente de joinville disse não a parada gay e para os projetos duvidosos do prefeito.

André Luiz disse...

A palavra diversidade é bastante ampla.
E no sentido de convivência e coletividade podemos acrescentar diversas outras coisas como: diversidade de raças, diversidade de religiões, diversidade de tribos, diversidade de culturas e tradição, etc.
É no mínimo contraditório e paradoxal o denominado "Desfile da Diversidade" ser focado somente no público LGBT.
Sr. Prefeito Carlito Merss e Fundação Cultural de Joinville, me pergunto onde foi parar a diversidade? Sejamos no mínimo coerentes...

Sapão - André Luís Oliveira disse...

Essa semana não foi de "diversidade", como o nome realmente diz, o foco foi bem claro. E acho uma pena o diretor da FCJ não ter uma opinião formada sobre família (o que é tão importante para a cultura), ao invés disso tem uma opinião diversa e dispersa. Se a gestão do prefeito é participativa, ele agora pode ver que a maioria da população não aprovou o evento e nunca mais repeti-lo

Giba disse...

Estive presente e estou orgulhoso de nossa cidade. Orgulho por ver que a contrário desse jornal que se diz imparcial, temos sim uma mídia que apóia e realmente cobriu o evente. Conforme a polícia militar eram por volta de 5000 pessoas. Pessoas que estavam lá lutando por um direito de serem aceitas nessa sociedade hipócrita e corrupta. Fica feliz, estou feliz, e nada nem os falsos moralistas nem está mídia irá deturpar o sucesso que mesmo debaixo de um tempo fechado, conseguiu promover a diversidade.

Anônimo disse...

A verdadeira blasfêmia não é não acreditar em um deus. A verdadeira blasfêmia é achar que sabe o que deus quer, o que deus sabe. Que gentalha essa gente preconceituosa contra os homossexuais. Cada um faz o que quer, ou você acha que nossos filhos irão ser homossexuais só porque viram duas pessoas do mesmo sexo se beijando? Quer dizer que ele irá ser um drogado só porque viu maconha ou crack? Será um assassino só porque viu uma arma? Não, ele será o que lhe der vontade de ser. Ele não tem escolha é se você lhe fizer a lavagem cerebral religiosa e preconceituosa, e isso você não vê, né?. Nem todo religioso é idiota como os que são preconceituosos. Por que cada um não cuida da sua vida e reclama do dinheiro que os políticos roubam?
Quem muito reclama é porque gostou e não tem peito de assumir. Sou humano como você, e eles não me incomodam e nem envergonham.

Anônimo disse...

Joinville jamais irá aceitar? Mesmo? Então por que tem tanto? rssss. Deixa de preconceito Joinville. Homossexuais tem tantos direitos quanto nós, o preconceito é cultural. E chega dessa cultura do preconceito.

SanzonJoinville disse...

BOA GESTÃO do Carlito, segundo o sr. Marcelo Billes!Amigo, onde vc esta morando atualmente? Sim, pq em Joinville não é, para dizer que o Carlito esta fazendo um bom governo, ve se acorda colega..

Anônimo disse...

ESSE GOVERNO QUE NÃO PRESTA CONTAS NEM A CAMARA DE VEREADORES, QUE NÃO É PROCESSADO POR CAUSA DOS VEREADORES VENDIDOS, CERTAMENTE PRESTARÁ CONTAS A DEUS POR INCENTIVAR ESSE EVENTOS VERGONHOSOS, ALGUÉM SABE QUANTO FOI GASTO DE DINHEIRO PÚBLICO NO EVENTO?

JOSIE MOSER disse...

Fui para ver e vi que os poucos que estavam lá tentavam empurrar um clima festivo.

Talvez a chuva ou as críticas tenham assustado os curiosos.

Pode ser que no ano que vem melhore a participação.

Achei que o engajamento do prefeito atrapalhou.

Ser homossexual ou simpatizante não quer dizer ser alienado da política.

Godinho disse...

Estava na parada da diversidade o tempo todo, eu, esposa e neto de três anos... Não consigo acreditar nas fotos que esse jornal traz aqui, fotos de antes de começar o desfile, fotos, me perdoem, mentirosas... Fui à parada em respeito à diversidade dos humanos e em repúdio ao preconceito que sofre essa que é a minoria mais furiosamente atacada pela incompreensão. Havia povo na avenida, havia alegria irresistível para quem foi... Faltaram vários atores é claro, homo e heterossexuais, muitos ficaram em casa, mas é compreensível o medo de muitos quando se vê aqui, na matéria e nos comentários, todo o ódio irracional contra a realidade diversa que apresentamos na Avenida Beira Rio. Noto na imprensa, não só aqui, mas em quase toda, a tentativa de colar no evento que se referia à diversidade um rótulo exclusivamente "Gay" na clara tentativa de afastar dali os heterossexuais, os jornais simplesmente resolveram ignorar o apelo à convivência e a tolerância entre os diversos que o próprio tema propunha. Surpreendeu-me a diversidade e o quanto pode ser diversa essa diversidade, estarei na avenida no ano que vem, espero que outros heterossexuais se atrevam a ir, que levem suas crianças antes que a vida os contamine de ódio e preconceito e aí seja tarde para eles também, espero também que mais gays estejam lá, vão se surpreender com a dimensão que pode assumir o seu gesto e mostrar à sociedade cruel que não vai mais se esconder, que não precisa mais se esconder. “Parabéns Joinville, parabéns a todos nós que fomos e a todos os que, mesmo em casa, puderam perceber a importância do evento.” As flores têm suas cores, as flores têm seus odores, pouco importa as cores e os odores, o que importa são as flores”.

Nina disse...

Dá um tempo meu!

Foi fraco, foi.

Tinha pouca gente ? Tinha.

Foi bacana? Foi.

Valeu a pena? Não sei.

O prefeito gosta disto? Gosta.

Ele se sente bem ? Bem demaaais!

rosangela disse...

Eu fui na parada e adorei ...sempre que tiver vou apoia, sou hetero,mas não tenho preconceito algum.Tomara que tenha a 2° a 3° .....

sanzonjoinville disse...

Até quando, a pouca vergonha terá vez em nossa cidade? Não sou contra a opção sexual de ninguém, desde que isso não se torne público e notória, seja cada um o que é, sem se expor ao ridiculo e pior, crianças no meio desse "movimento"? Que educação terão? Opção sexual é uma coisa, outra coisa é dizer e mostrar para as crianças qua ali estão que isso é algo normal, que não é. Acorda povo de Joinville.

Anônimo disse...

A capa desta reportagem significa, politicagem suja e barata.