Para 33% da população, Carlito é pior que Tebaldi

Era para ser o voto da mudança. Pelo menos foi assim que o prefeito Carlito Merss foi eleito no ano passado por 171 mil eleitores.

Mas, de acordo com a pesquisa da IPS UNIVALI, 66,66% da população acredita que o petista está longe de ser melhor que seu antecessor, Marco Tebaldi (PSDB).

Se isso não bastasse, para 32,63% dos entrevistados, Carlito é até pior que Tebaldi.

Os números não deixam dúvida de que a população esperava mais do atual prefeito. Além disso, os aumentos concedidos para a água (6,41%) e para o ônibus (12,2%), este acima da inflação, serviram de estopim para que a revolta popular ganhasse as ruas e jogasse na lama a popularidade do prefeito Carlito.

Na semana passada, esta Gazeta já havia publicado o resultado da pesquisa IPS UNIVALI sobre a avaliação do prefeito onde mostrou que 42,89% dos entrevistados reprovavam o jeito Carlito de governar. Para 18,65% o petista é ruim e para 24,24% é péssimo.

O pior da história

Depois de 20 anos tentando conquistar o direito de comandar a maior cidade de Santa Catarina, Carlito assumiu com a missão de iniciar uma nova fase na gestão municipal. Mas, esquecendo o lado político e apenas se importando com o técnico, o prefeito, em apenas cinco meses, conseguiu a façanha de destruir a popularidade conquistada no seu trabalho como deputado federal.

Nenhum prefeito, na história de Joinville chegou a níveis tão baixos de popularidade. O ex-prefeito Marco Tebaldi, esteve envolvido em diversos escândalos durante seu mandato, mas mesmo assim deixou o governo com uma aprovação de 39% (dezessete por cento a mais que o petista).

Motivos não faltam para a revolta popular

Carlito iniciou o governo quebrando compromissos assumidos na campanha eleitoral e jogando fora bandeiras assumidas com líderes políticos que lhe deram apoio para que vencesse Darci de Matos no segundo turno das eleições.

Primeiro não conseguiu cumprir a promessa de acabar com o caos na saúde pública nos seus primeiros 100 dias de governo, além disso, para piorar, teve de conviver com o fechamento do pronto-socorro do hospital São José.

Ainda dentro dos 100 dias, a morte da menina Kelly Kruger, no dia 3 de março, dentro do CEI dos Espinheiros, serviu para aumentar a indignação da população. Passados três meses da tragédia, ainda não se sabe como um parquinho que recebia dezenas de crianças foi liberado para uso sem as mínimas condições de segurança. O parque foi interditado em março e a algumas semanas, o CEI inteiro foi fechado pela vigilância sanitária devido a vários problemas no local.

A gota d'agua

Em abril, o jeito técnico de Carlito falou mais alto e, apesar da revolta popular, o prefeito acabou assinando o aumento de 6,41% na tarifa de água, mesmo ciente de que a Águas de Joinville tinha em caixa mais de R$ 40 milhões. Se não bastasse, a promessa de acabar com a taxa mínima de três metros cúbicos e apenas cobrar o que o cidadão consome foi esquecida. Mas o pior ainda estava por vir.

Informado de irregularidades, prefeito mesmo
assim concede aumento da passagem de ônibus


Assim que assumiu o governo, o prefeito não demorou para receber em seu gabinete os donos das empresas de ônibus. Carlito garantiu que não daria qualquer aumento sem que a planilha de custos do transporte coletivo fosse divulgada e incessantemente debatida com a comunidade. Carlito incumbiu o então secretário de Infra-estrutura, Nelson Trigo, que analisasse os números apresentados pelas empresas e descobrisse se ali havia alguma ilegalidade.

Depois de quatro meses esmiuçando os números da planilha, Trigo entregou para o prefeito o relatório mostrando que a prefeitura não tinha nenhum controle sobre o transporte coletivo, ou seja, nenhuma conferência era feita pela administração pública. Em sua carta, o ex-secretário, além de recomendar que não fosse dado o reajuste da tarifa, também apontou a necessidade de romper com todo o sistema praticado na concessão. Não adiantou.

No dia seguinte Carlito assinou o aumento da passagem de ônibus de de R$ 2,05 para R$ 2,30. Um reajuste de 12,2%, um valor acima da inflação. O prefeito quebrava assim mais uma promessa de campanha. Duas na verdade, pois além de prometer subsidiar a tarifa, também garantiu que não concederia no seu governo, nenhum aumento acima da inflação.

Com o aumento da passagem, a imagem de Carlito que já estava desgastada, despencou ainda mais. Milhares de pessoas foram as ruas, durante vários dias para protestar contra o reajuste do ônibus.

Avaliação negativa do transporte coletivo também bate recorde

O transporte coletivo de Joinville sempre foi avaliado de forma positiva pela população. Os usuários, apesar de sofrerem com a rotina de conviverem com ônibus lotados e com uma das tarifas mais caras de Santa Catarina, afirmavam que as empresas estavam cumprindo o seu papel, mas isso mudou.

A pesquisa IPS UNIVALI mostra que 39,16% da população desaprova contra apenas 19,58% que aprovam o transporte coletivo da cidade, no que se refere a tempo de espera nos pontos e terminais, segurança dentro do ônibus e preço da tarifa.


NOTA ZERO

Na avaliação popular, para 19,35% o transporte coletivo de Joinville merece nota zero. Para 18,88% a nota é cinco. Apenas 5,83% deram nota 10 para o sistema

Saúde na mesma balada

Principal problema na última administração, inclusive com o escândalo envolvendo o ex-secretário Norival Silva, preso em casa acusado formação de quadrilha, entre outros crimes, a situação da saúde pública continua revoltando os joinvilenses.

Mais de 35% da população reprova o atendimento nos hospitais da cidade. Apenas 17,49% aprovam. Os pesquisadores pediram para os entrevistados avaliarem os postos de saúde, o atendimento dos funcionários, o tempo de espera para marcar consultas e a entrega de medicamentos. Cerca de 15% dos entrevistados deram nota zero para os quesitos, enquanto para 25% a nota não passa de cinco. Apenas 4,9% deram a nota máxima para a saúde.



A pesquisa da IPS UNIVALI ouviu 429 pessoas em todos os bairros da cidade e foi realizada no dia 1º de junho. A margem de erro é de 4,83 pontos percentuais para mais ou para menos. A aplicação da pesquisa foi realizada tendo como padrão a abordagem aleatória simples com membros da população de pesquisa (eleitores da cidade de Joinville), em circulação.

13 comentários:

Breno Jabob Pinheiro disse...

Bela imagem na capa.

As duas mãos segurando Tebaldi e Carlito tem uma força que poucas vezes se viu na internet.

Ë surpreendente a nota zero para o transporte coletivo na pesquisa Univalli. Praticamente 20% dos pesquisados dão zero para o serviço.

Mas , onde os números mais impressionam é na comparação direta entre o atual e o ex-prefeito: UM EM CADA TRES JOINVILENSES ACHAM CARLITO PIOR .

Nivaldo disse...

Incrivel como em apenas seis meses, possa-se fazer uma comparacao com uma administracao que teve quatro anos de mandadato, alem do rombo deixado, a cidade estava num estado de abandono. Nao lembro desta impaciencia em relacao a administracao ''anterior''....

Luiz Fernando PEixer disse...

Incrivel como em 6 meses alguem consiga destruir sua imagem de salvador da cidadem como Carlito fez.

olho vivo disse...

se não me falha a memoria a administração anterior tinha no começo do mandato grande apoio do governador,com isso se transmitia uma certa tranquilidade a população.
já a atual,permitiu na epoca da campanha uma grande expectativa de mudanças e melhorias a qual tem se mostrado não tão facil assim. agravado com a descoberta pela a população do pouco apoio do presidente lula ao carlito.

Anônimo disse...

PARABÉNS A GAZETA.
O QUE ESTA PUBLICADO É A VERDADE.
CARLITO E SUA TROPA DEVEM SER CAÇADOS, QUER POR INCOMPETÊNCIA, QUE POR MENTIRAS. FORA CARLITO. E AINDA VEM FALAR EM "ORÇAMENTO PARTICIPATIVO", NEM UM PPA SOUBERAM FAZER, O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO NÃO SABE NADA DE PLANEJAMENTO, NADA DE GESTÃO, NADA DE ORÇAMENTO. FORA, FORA, FORA, FORA. VAI GAZETA SEJA A BOCA DO POVO.

Anônimo disse...

ISSO É POR ENQUANTO, NO FINAL DO ANO UNS 60% DA POPULAÇÃO TERÃO CERTEZA QUE CARLITO É UMA FRAUDE E É MUITO PIOR QUE O TEBALDI.

Anônimo disse...

pois bem, é hora de quem votou e tambén não votou no Carlito se reunir e dizer um FORA bem alto, se o povo tirou o Color por que não pode tirar o Carlito, o povo unido tem poder, se em 5 meses ele já fez todo esse estrago, imagina em 4 anos, é hora de união, de pensarmos no melhor pra nos Joinvilenses, ou vamos esperar nossa cidade afundar, ser destruída por essa administração incopetente.

Anônimo disse...

PREZADO NILVADO.
QUE ROMBO É ESSE QUE VOCÊ FALA? VOCÊ PODERIA ENVIAR ESSA DOCUMENTAÇÃO PARA A GAZETA PUBLICAR, O QUE ACHA? É O S 100 MILHOES QUE O CARLITO DISSE? QUE DEPOIS VIROU 60 MILHOES E DEPOIS 6 MILHOES? QUE ROMBO É ESSE?

alceu disse...

Quanta gente raivosa, deixa o homem trabalhar.

Anônimo disse...

O rombo é aquele que o Gazeta publicou, alô Gazeta cadê o Rombo??Vocês poderiam explicar pq o pessoal do PP ainda está no Governo??

Luiz Fernando Peixer disse...

O que tem de Tebaldianos querendo ferrar o PP agora que viu que o PT tá quebrado não é brincadeira.

Anônimo disse...

EITA PESQUISA FAJUTA

CERTA OCASIÃO DE 2008, VOCES PUBLICARAM UMA PESQUISA COM A INTENÇÃO DE VOTOS PARA O SEGUNDO TURNO.
DIZIA A PESQUISA:
CARLITO 23,4% E O RESULTADO OFICIAL FOI DE 37,14%. POIS É, UM ERRINHO DE APENAS 13,74% DE DIFERENÇA. PUBLIQUEM ISSO TAMBÉM.

Anônimo disse...

Realmente, é uma vergonha, todos deveriam ser tratados ao meu ver como funcionários de uma empresa privada, sendo demitidos pois é o nosso dinheiro sendo muito mal administrado. Onde está a lei para punir esses mentirosos. Nunca vi tanta imparcialidade na lei, é uma vergonha mesmo!!!