Proibido ficar doente na sexta-feira

Gisele Krama
giselekrama@gazetadejoinville.com.br

Contrariando o plano de governo de Carlito Merss e os objetivos do Ministério da Saúde, de valorizar o atendimento básico e priorizar o Programa Saúde da Família (PSF) nos bairros, a Secretaria de Saúde de Joinville ordenou que todos os postos de saúde deixem de atender às pessoas nas sextas-feiras, à tarde, para fazer reunião com a equipe. Os profissionais usam o tempo para fazer relatórios e avaliar a situação da unidade. Enquanto isso, a população aguarda do lado de fora e volta para casa sem resolver o problema.

Na frente do “postinho” do Jardim Edilene, algumas pessoas que chegavam, observaram as portas fechadas, mas ouviam que os funcionários estavam dentro da unidade conversando. A dona de casa Salete Bastista procurou o PSF do Jardim Edilene na última sexta-feira (17) para buscar remédio. Ela não foi atendida e voltou a pé para a sua residência, a dez quarteirões do posto de saúde, sem o medicamento que precisava.

Robson Leandro passou no posto só para pegar uma receita médica para sua filha deficiente, mas pela terceira vez voltou de mãos vazias. No dia anterior, ele também esteve no PSF, mas não conseguiu o documento. Segundo Robson, tinha muita gente esperando e o médico não queria atender.

Mesmo com as promessas do atual prefeito Carlito Merss de humanizar o Sistema Único de Saúde, de ampliar o horário de atendimento das unidades e de valorizar os profissionais, os médicos do Jardim Edilene estão descontentes com a situação. Segundo um deles, Renato de Lima Pimentel, é necessário ampliar o “postinho” e contratar profissionais para atender a população. Renato também confirmou a informação de que as unidades só fecham por ordem da Secretaria da Saúde.

A equipe de reportagem foi até o “postinho” do Morro do Amaral, que também estava fechado. Nos dois portões de entrada, havia cadeados e nenhuma placa avisando o motivo da unidade não atender à população. No entanto, um cartaz indicava que no dia anterior, quinta-feira à tarde, o posto também não estava aberto por causa da reunião do conselho local de saúde.

Depois de chamar para que alguém viesse atender, uma médica do Morro do Amaral saiu de dentro da unidade. Ela falou que estavam em reunião e que não iriam falar com ninguém.

População não pode ser atendida no Boehmerwald I

A falta de interesse e de informação do governo faz com que a saúde se torne um problema maior em Joinville. A Secretaria da Saúde inaugurou o posto de saúde do Boehmerwald I, que custou com a reforma mais de R$ 60 mil, entretanto, as obras ainda não terminaram. Além de não ter médicos, já que os dois clínicos estão de férias, a sala de vacinação precisa de outra reforma, pois foi construída fora dos padrões exigidos pela Vigilância Sanitária. Enquanto isso, a população terá apenas os serviços de curativos e medição de pressão.

A gerente da Unidade de Vigilância em Saúde, Jeane Vieira, afirma que deu todas as instruções, mas não foram seguidas. A sala deveria ter no mínimo nove metros quadrados, mas com a reforma passou a ter somente seis.

Aproximadamente, 50 pessoas chegam ao posto de saúde diariamente procurando por consultas. Conforme a enfermeira Terezinha Fortes, a população é orientada a procurar o posto do Boehmerwaldt II, a Regional do Floresta ou os Pronto-Atendimentos.

Já no Boehmerwald II, a situação não é muito diferente. Apesar de ter a sala de vacinação em uso, somente um médico residente atende aos mais de 50 pacientes que chegam ao posto diariamente. Mais dois clínicos deveriam estar trabalhando na unidade, porém um deles está de férias e outro passou a última semana sem comparecer porque está de atestado.

As duas enfermeiras e quatro técnicas de enfermagem é que ficam responsáveis por ajudar as pessoas que chegam para fazer consultas médicas e mais outras que buscam serviços de menor porte, como curativo e medição de pressão. No entanto, o Boehmerwald II tem na equipe um dentista e um técnico de higiene bucal, serviços não oferecidos pela unidade I.

A gerente da Unidade de Atenção Básica, Marlene Oliveira, alega não saber da situação, principalmente da falta de médico nos postos do Boehmerwald.

Mau funcionamento dos postos de saúde lota hospitais

Além da caótica situação do São José, em que pessoas são atendidas em macas nos corredores, o Hospital Infantil Jesser Amarante também tem recebido reclamações pela falta de médicos e demora em conseguir uma consulta. O diretor executivo Ademar Marcelo Soares, diz que 85% das crianças que chegam ao Pronto-Socorro poderiam ser atendidas nos postos de saúde.

As pessoas não procuram a rede básica - por falta de médicos, como no posto do Boehmerwald ou pela demora no atendimento, como no Morro do Meio e Jardim Edilene, que estavam fechados – e vão diretamente para os hospitais. Só no mês passado, o Hospital Infantil atendeu 6.333 crianças, porém a maioria delas deveria passar por consultas nos postos de saúde, ambulatórios ou Pronto-Atendimentos.

“Não deixaremos de receber nenhuma criança, mas os casos de urgência e emergência são os que têm prioridade no hospital”, afirma Ademar. Já as crianças com problemas “mais leves”, terão de aguardar.

O hospital irá implantar a classificação de risco, em que colocarão para o topo da lista as crianças com necessidade de atendimento mais urgente. Os casos que não são de urgência e emergências vão esperar.

O Ademar lembra ainda que muitas famílias procuram o hospital por não confiarem nos médicos da rede básica de saúde, ou seja, dos postinhos.

14 comentários:

Anônimo disse...

É UMA VERGONHA, ESSE PESSOAL DO PT, NÃO SABE E NÃO DEIXA NINGUÉM TRABALHAR, ENQUANTO ISSO A POPULAÇÃO SOFRE. FORA CARLITO.

Anônimo disse...

O NEGÓCIO É REUNIÃO COMPANHEIROS.

Anônimo disse...

É MANIA DE SINDICALISTA, RESOLVER TUDO COM REUNIÃO, TRABALHO QUE É BOM, NADA. ESSE SECRETÁRIO DE SAÚDE TAMBÉM EM, MEU DEUS.

Anônimo disse...

ROSA DISSE...
SÓ SABEM FALAR DO PT E DO POSTINHO ESTE ANO,ATÉ PARECE QUE NO TEMPO DO TEBALDI ERA DIFERENTE. SEMPRE OS POSTOS FICARAM FECHADOS NA SEXTA A TARDE PARA A REUNIÃO.ATÉ PARECE QUE A SAÚDE EM JOINVILLE ERA ESSA UMA MARAVILHA.

Anônimo disse...

Bom, seria interessante o jornalista se informar sobre o que é o Programa de Saúde da Família. Esse programa (nacional) orienta que toda semana, geralmente na sexta-feira a tarde, deveria ser realizada uma reunião de equipe. Um posto de PSF em teoria é para realizar programas de hipertensos, diabéticos, puericultura...ou seja, voltado à prevenção e às pessoas que possuem dificuldade de acesso, como os acamados. Se a pessoa fica doente, em tese, deveria procurar unidades de atendimento, como os PAs.
Não sou funcionária da prefeitura, mas conheço muito bem o programa de saúde da família.

Anônimo disse...

AS REUNIÕES PODEM E DEVEM SER FEITAS, MAS NÃO QUANDO HÁ PESSOAS PARA SEREM ATENDIDAS, PRECISANDO DE ATENDIMENTO MÉDICO E ETC. ESSE NEGÓCIO DE REUNIÃO É QUANDO NÃO SE QUER FAZER NADA, ISSO SIM.

Anônimo disse...

ACHO QUE O SECRETÁRIO DEVIA FAZER UNS EXAMES PARECE DOENTE, CABISBAIXO, ABATIDO, GORDINHO, BARRIGUDO, QUEM SABE ATÉ UM PLÁSTICA, LOGICAMENTE TUDO PAGO PELO SUS E NA FRENTE DOS OUTROS, SRSRRSRSR ESSE É O GOVERNO DO CARLITO.

Anônimo disse...

E O SÃO JOSÉ COMO FICOU AQUELE ESCANDÁ-LO, E O NEPOTISMO NA EDUCAÇÃO E DA FUNDAMAS, COMO FICOU?

cirineu disse...

Estas reuniões são previstas em todos os POSTOS DE SAUDE DA FAMILIA, e são importantes e referendadas pelo MINISTERIO DA SAUDE, para compilação de dados e analise de atendimentos, com objetivos de desenvolver estrategias de atuação, e cada posto, realiza sua reunião semanal, sempre no mesmo dia da semana, no periodo da tarde, fato de conhecimento de toda a poulação da area de abrangencia. Sugiro que antes de escrever algo, sobre qualquer assunto, busque informações, e mais,não queira manipular pessoas, já tão sofridas. Busque saber algo sobre atendimento primario, secundario e terciario, não influencie as pessoas com problemas graves de saúde, em situação de urgencia ou emergencia, a baterem na porta do posto de saúde, já que este, busca a promoção e prevenção em saude publica.

Anônimo disse...

O ATENDIMENTO AO CIDADÃO TAMBÉM É PREVISTO PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE, E ELE COMO FICA? PARA MIM É FALTA DE ORGANIZAÇÃO, INCOMPETÊNCIA E AMADORISMO.

Anônimo disse...

E PETISTAS INCOMPETENTES NEM ADMINISTRAR SABEM.

jota o disse...

senhores e senhoras defensores desse quase incompetente governo petista,me parece coveniente justificar os erros desta gestão com o¨até
parece que no tempo do tebaldi era diferente¨.por esse motivo eles não devem fazer melhor?
eu tenho absoluta certeza que esse governo é mediocre,e não é culpa do teobaldi,mais sim dos quase incompetentes secretarios da prefeitura e de quem os nomeou.
depois de muita reunião voces vão descobrir que só vai melhorar é se esse pessoal começarem a trabalhar,e tratarem o povo com mais respeito.
descupe me sr prefeito,mais tá na hora de fazer valer os nossos votos

Marlene disse...

Pessoal, infelizmente não é culpa do Carlito e sim do Dr° Tarcisio que está desejando pessoas incompetentes administrar a saúde dos cidadão. Sendo que no Ministério da Saúde, em nenhum momento manda fechar os postos de saúde no período da tarde para realização de reuniões, sendo que essas reuniões poderiam e podem ser realizadas depois do expediente. Resposta do Ministério da Saúde: "Municipal
- Definir e implantar o modelo de atenção básica em seu território;
- Contratualizar o trabalho em atenção básica;
- Manter a rede de unidades básicas de saúde em funcionamento (gestão e gerência);
- Co-financiar as ações de atenção básica;
- Alimentar os sistemas de informação;
- Avaliar o desempenho das equipes de atenção básica sob sua supervisão." O erro do Tebaldi continua com a administração do PT, por causa do Secretário de Saúde e não do Prefeito.

Anônimo disse...

O ERRO É DO CARLITO E DO PT, ELES COLOCARM O TARCÍSIO. FORA PT E SUA CORJA.