“É uma sem-vergonhice subir passagem agora”, diz Kennedy

Jacson Almeida
jacson@gazetadejoinville.com.br

Os usuários do transporte coletivo de Joinville podem preparar o bolso em razão de um novo aumento da tarifa que poderá ser anunciado nos próximos meses. A notícia foi dada pelo próprio prefeito Carlito Merss (PT), em chat promovido pelo jornal A Notícia, em 8 de março. “Desde dezembro (2009), as empresas (Gidion e Transtusa) pedem reajuste e nós, Seinfra (Secretaria de Infraestrutura Urbana) e Ippuj (Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville) estamos fazendo uma análise da planilha”, afirmou.

O deputado estadual Kennedy Nunes (PP) rompeu com o governo de Carlito Merss no primeiro aumento da passagem de ônibus da nova gestão, em maio de 2009. A queda de braço entre os políticos rendeu até outdoors neste ano onde o deputado estadual pedia para o prefeito tirar verba de gabinete para subsidiar a passagem aos joinvilenses. Com a nova possibilidade de aumento, Kennedy promete que também vai entrar na brigar para barrar o reajuste. “Esse aumento é uma sem-vergonhice”, afima.

O último aumento da tarifa aconteceu em maio do ano passado, quando foi autorizado o acréscimo de 12% - valor acima da inflação no período entre 2007 (quando ocorreu o último aumento na gestão Marco Tebaldi) e 2009 (na gestão Carlito Merss). Os usuários passaram a desembolsar R$ 2,30 pela passagem antecipada e R$ 2,70 pela embarcada.

O que poderá vir como argumento para este novo reajuste, além do pedido das empresas, é um novo projeto oferecendo gratuidade aos idosos entre 60 e 65 anos. O mesmo benefício foi cancelado em janeiro deste ano por ação movida pelas empresas que detém a concessão do serviço na cidade, Gidion e Transtusa, através do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Santa Catarina. O benefício durou menos de um ano.

No chat, Carlito argumentou que grandes cidades do estado elevaram a tarifa de ônibus, como Blumenau e Criciúma. Nestes municípios, os valores das passagens subiram para R$ 2,55 e R$ 2,50, respectivamente. No entanto, o petista não mencionou que o reajuste dado em Blumenau foi barrado pela Justiça.

Empresas ainda não pediram formalmente o aumento

Através da assessoria de imprensa, o Ippuj diz que não houve pedido formal das empresas Gidion e Transtusa para aumento na tarifa. Informalmente, em 2009, as empresas falaram que precisariam de um aumento em 2010. Para o pedido do aumento, as concessionárias têm que enviar um ofício para o gabinete do prefeito explicando o porquê do aumento, junto com planilhas de custos.

População se mobiliza para barrar aumento

Uma pesquisa realizada pela ANTP (Associação Nacional dos Transportes Públicos) mostra que Joinville, se comparada a capitais ou cidades com população acima de 500 mil habitantes, possui uma passagem considerada cara. Das 43 cidades do país neste perfil, 26 têm a tarifa do transporte coletivo menor que Joinville. Em Fortaleza (CE), com 2,4 milhões de habitantes, a passagem custa R$1,80.

O curioso é que a capital do Ceará ficou quatro anos sem aumento de passagem, com o valor a R$ 1,60. Em abril de 2009 houve um reajuste de 20 centavos, que permanece até hoje. Enquanto isso, os prefeitos de Joinville autorizaram em 12 anos 241,6% de aumento na tarifa a pedido das empresas Gidion e Transtusa, embora a inflação medida no período foi de acúmulo de 132,4%. Portanto, se os governos de Joinville calculassem o reajuste de acordo com a inflação, a passagem de ônibus custaria hoje cerca de R$ 1,40, bem abaixo do valor atual que é de R$ 2,30. Em 1996, a passagem custava 60 centavos.

O Movimento Passe Livre de Joinville (MPL), juntamente com outras entidades, está se organizando para barrar esse novo aumento. Segundo o ativista Kleber Tobler, o prefeito Carlito legitimou o aumento na mídia, através do chat do jornal A Notícia, deixando claro que as empresas podem, novamente, colocar a mão no bolso dos joinvilenses.

Na segunda-feira (15), uma reunião entre o Passe Livre e Ippuj marcou a primeira conversa entre prefeitura e movimento depois do aumento de 2009. Foi necessário muita discussão para chegarem a um acordo. Agora a Coordenação de Juventude do governo vai se reunir com o MPL com intuito de montar um debate com a população sobre transporte público.

De acordo com Kleber, técnicos do Ippuj argumentam a prefeitura, através do instituto, informa que as empresas têm prejuízos com o transporte coletivo na cidade. O Ippuj, através da assessoria de imprensa, reconhece que de acordo com seus estudos, ou seja elas têm prejuízo os custos que as empresas de ônibus têm ultrapassam a tarifa.

O Ippuj informa ainda que o transporte de Joinville é de qualidade e dispõe de vários benefícios para o usuário.

Empresas visam o lucro Em carta, o MPL destaca: “É necessário reconhecer que as atuais empresas são incapazes de prover justamente aquilo que se propõem, isto é, mobilidade urbana. Ao contrário, pondo o lucro em primeiro plano, mantêm um serviço de altíssimo preço e de qualidade cada vez mais duvidosa, basta apenas andar em um ônibus por volta das 18 horas para averiguar isso”.

Planilha O economista José Álvaro Cardoso, do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), reconhece que gostaria de entender um pouco como é calculado o preço de uma tarifa de ônibus. Segundo ele, é uma área de conhecimento complexa, pois a planilha envolve variáveis.

Passagem cara gera imenso tráfego e acidentes

De acordo com o economista José Álvaro Cardoso, do Dieese, é mais vantajoso ir ao trabalho ou escola de motocicleta. Segundo ele, o carro fica mais caro. Ele conta que em algumas cidades de Santa Catarina alguns sindicatos orientam seus trabalhadores a destinar o dinheiro do ônibus para a aquisição de uma moto. “É mais rápida, gasta a mesma coisa ou menos, e o trabalhador tem autonomia para ir e vir. É claro tem os seus contratempos, a começar pelo risco. Notamos que o crescimento de carros nas ruas é constante, fazendo com que gere um imenso tráfego e muitos acidentes envolvendo motocicletas”.

Você sabia?

Monopólio do transporte na região é da família Bogo

A empresa Viação Canarinho, que oferece o transporte coletivo em Jaraguá do Sul, também possui uma das tarifas mais caras do Brasil – R$ 2,50. A semelhança é que Joinville e a cidade vizinha têm empresas de viação do mesmos donos. A Gidion e a Canarinho são da família Bogo. No site da Canarinho tem a história: “Em 1975, assumem o comando da empresa os senhores Rinaldo Bogo, Dair Alfeu Bogo, Juvenal Demarchi e Moacir Bogo”. Em Guaramirim o transporte coletivo também é oferecido pela família, como em São Francisco do Sul.

13 comentários:

Anônimo disse...

é uma vergonha se aumentar de novo. carlito merrs voce não precisa andar de onibus o senhor tem carro......mentir como o senhor na campanha, em apenas dois anos aumentar a passagem denovo, olha tem eleição daqui a 2 anos e meio , o senhor não ganha mais para nada se continuar assim.......assinado um filiado ao pt mais ou menos 10 anos mas se tiver o osenhos denovo como candidato voto em branco

Olho Vivo disse...

Se tá dando Prejuízo, entrega. Aposto que tem uma fila enorme de empresas querendo explorar o transporte público em Joinville.
HAHAHAH !!! Até parece que eles vão largar essa teta...

Anônimo disse...

Aumento do valor da passagem de ônibus novamente. Com certeza esse item também deve estar nas promessas de campanha do Carlito, né???? E pela milionésia vez: TADINHO DO POVO...

Anônimo disse...

Em Joinville á passagem tem que ser cara mesmo, afinal de contas eles dizem quer só 150 mil Joinvilenses usam esse meio de transporte, Se o próprio IPPUJ diz que as empresas tem prejúizo, quem vai falar ao Contrário?

É só uma quetão de tempo, para a passagem subir em Joinville. A Familia Bogo Manda e Desmanda em Joinville e região e fica tudo por isso mesmo.

Na minha opinião o prefeito Carlito Merss terá só quatro anos de governo, mas ele não vai sair perdendo, quem vai perder, e já está perdendo, e muito é o povo Joinvilense.

Anônimo disse...

O ministério publico devia solicitar as imagens que são geradas por algumas cãmeras que estão instaladas em alguns ônibus, principalmente aqueles que fazem a linha Norte-Sul, só assim eles teriam uma visão da realidade em que se encontra o transporte privado de Joinville.

Anônimo disse...

Movimento subversivo agora é fonte? qUE MOVIMENTO pASSE lIVRE O QUE

Anônimo disse...

Gostaria de saber se alguém sabe me dizer quem eram os vereadores em 1998?

Redação Gazeta de Joinville disse...

DA REDAÇÃO:

Segue a relação de vereadores eleitos em 1996, ou seja, com mandato em 1998:

LUIZ BINI (PFL), GETULIO FERREIRA (PPB), NILSON GONCALVES (PMDB), HERCILIO ROHRBACHER (PFL), JAIME DUARTE (PPS), JOAO ROSA (PFL), JOAO LUIZ SDRIGOTTI (PMDB), JOAO PESSOA MACHADO (PMDB), JOAO RIBEIRO (PL), JOSE EVARISTO (PT), ODIR NUNES (PFL), OSVALDO DARU (PMN), ADEMIR MACHADO (PMDB), ROBERTO BISONI (PMDB), VILSON RENZETTI (PPB), WALDEMAR SCHULZ JUNIOR (PMDB), ARINOR VOGELSANGER (PMDB), ARLINDO LEITE (PPB), BRAULIO BARBOSA (PMDB), FRANCISCO DE ASSIS (PT) E LUIZ DA LUZ (PMN)

Anônimo disse...

Valeu, Obrigado pela lista dos vereadores de 1998.
Um abraço,

Anônimo disse...

Nós população de joinville não podemos deixar que isso aconteça, um novo aumento deste transporte que está ai que é uma vergonha,será que os vereadores concordam com este aumento? Ficamos de olho e se isso acontecer o jeito é o povo ir as ruas mostrar sua indignação.

Anônimo disse...

Esse é Carlito, fazendo todos de palhaços. Votem nele. É uma robalheira só. O pior é que o Ministério Público parece ser petista, nada faz, tá na hora da gente denunciar os promotores.

lina disse...

Esse é Carlito, fazendo todos de palhaços. Votem nele. É uma robalheira só. O pior é que o Ministério Público parece ser petista, nada faz, tá na hora da gente denunciar os promotores.
A cidade tem que juntar e ir as ruas pedir o IMPITMAM DO CARLITOS.
impitimam,impitimam,impitimam
Henrique.

Anônimo disse...

povo joinvillens o veneno da cobra se faz remedio da mordida da mesma 1 aumento da passagem de onibus todo mundo que aprova leva o seu o carlito sabe disto e todos que foi ou vai ser vereador ou prefeito sabe disto 2 o povo pode recolher milhares de assinatura para ver se os vereadores aprova uma lei que possa ter varias empresa de trasporte coletivos isto dou meu pescoso para cortar por isto que eu quero ver o preco subir e um dia o povo revoltado e bicho pegar e isto nao vai longe os estudantes dos anos da ditadura ja tinha tocado o terror ass abin laaaddd